Coluna Clio

Extensão do Jornal Delfos-CE: http://jornaldelfos.blogspot.com.br/
Clio é a musa da História na Mitologia grega.

Total de visualizações de página

Siga a Coluna Clio por e-mail

Seguidores

Escritores do blog

Minha foto
Historiador Criador e Presidente do Jornal Delfos-CE, (2007). Criador da Associação Cultural SEMPRE- (2008). Criador e Idealizador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste (2009). 2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010). Criador da exposição histórica: "PACOTY: UMA HISTÓRIA EM DOCUMENTOS", aprovado pelo Banco do Nordeste(2010). Formado em Licenciatura Plena em História (2010). Sócio do Instituto Desenvolver (2011). Trabalhou para o Governo do Estado do Ceará como pesquisador no Porto do Pecém (2011). Ministrou aulas de História, Geografia, Arte e Religião em Pacoti e em Guaramiranga (de 2008 a 2015 no Colégio São Luís, na Escola Menezes Pimentel e na Escola Linha da Serra). 2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012). Participa como um dos autores dos e-books "Por onde andei?", "Quem sou?" e realizado pelo Balcão de Poemas, edição de Wasil Sacharuck. Recebeu a comenda Domitila de Honra ao Mérito (2016) Conclui Pós-Graduação em Gestão Escolar (2016). Selecionado para o Prêmio CNNP- Concurso Nacional Novos Poetas (2016).

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

GÊNESIS: ANÁLISE ETIMOLÓGICA

GÊNESIS: ANÁLISE ETIMOLÓGICA


Por análise simples da palavra "Gênesis" não podemos deixar de notar que é semelhante à "Nêmesis", com quase exatidão de pronúncia e exatidão de número de letras e fonemas. 

Para entendermos o sentido real de "Gênesis" pegaremos a raiz "gen" em Alemão, em Latim  "genus" (nascimento, descendência, origem; raça, tronco; descendente, rebento, filho), com os derivativos indo-europeu "gen" e"gne" (nascer, gerar), génos (ato de gerar, descendência, pessoas que têm a mesma idade) em Grego, e, novamente do Latim, "generatio" ("geração, reprodução (das espécies); raça, família, genealogia, linhagem"). 

Geração vindo de generatio +onis (Latim); Gênero vindo de genus + eris (Latim) que veio de génos + eos (Grego); e gene (alemão) vindo de gen-/gne (Indo-Europeu).

Por sua vez "Nêmesis", de onde é praticamente inegável que o termo "Gênesis" lhe tenha surgido por imitação, vem de "némo" (do Grego antigo, "distribuir"), com raiz indo-européia "nem", que em Latim vem  "nec", advérbio de negação semelhante ao nosso "não".

Nêmesis acabou se fundindo, se confundindo e mesmo gerando muitas outras deusas, como a própria Ivstícia ou Iustícia, de onde mais tarde veio o termo Justiça, enfim, entre Nêmesis e Gênesis, a maior coincidência é a finalização "esis". Pois bem, no Egito havia um panteão com mais de 700 deuses, dentre elas, Ísis. 

Já mostrei em artigos anteriores que Nêmesis é imitação direta de Ísis, assim como Íris (deusa do arco-íris) e outros seres alados que quando não imitam Ísis imitam Hórus, em diversas outras mitologias e religiões (não que exista alguma diferença entre mitologias e religiões, mas é convencional aceitar estas como cultuadas e aquelas como não mais cultuadas).

Por fim, uma vez que um dos principais significado de genes, de onde vem "Gênesis" é filho, logo, "Gênesis" ao pé da letra significa não "origem", mas filho ou filhos de Ísis.

" (...) Etimologia e significado

A palavra 'nêmesis' vem do grego antigo , derivado do verbo (némo: 'distribuir'), da raiz indo-europeia nem-. O termo foi usado com o significado de 'desdém', 'indignação' por Homero (na Odisseia) e por Aristóteles (na Etica Nicomachea), e com o sentido de 'vingança', 'castigo' por Heródoto, por Cláudio Eliano (na Varia historia) e por Plutarco. Na Theologumena arithmeticae de Jâmblico designa o numeral cinco.

A palavra tem também o sentido de justiça distributiva . Originariamente, a deusa grega infligia dor ou concedia felicidade segundo o que era justo. Portanto, por antonomásia, entende-se nêmesis como a situação negativa que se segue a um período particularmente favorável, como ato de justiça compensatória. A ideia que subjaz ao termo é a de que o mundo deve obedecer a uma lei de harmonia, segundo a qual o bem deve ser compensado pelo mal em igual medida.

Significado atual do termo

Em português, a palavra designa 'alguém que exige ou inflige retaliação' ou, por extensão de sentido, um 'rival ou adversário temível e geralmente vitorioso'. Na cultura inglesa moderna, o termo assumiu o significado de 'inimigo' ou o pior inimigo de uma pessoa, normalmente alguém que é exatamente o oposto de si mas que é também, de algum modo, muito semelhante a si. Por exemplo, o Professor Moriarty é frequentemente descrito como a nêmesis de Sherlock Holmes, isto é, seu arqui-inimigo, pelo qual, todavia, nutre grande respeito e admiração. (...) "

https://pt.wikipedia.org/wiki/N%C3%AAmesis_(mitologia)

"(...) Gênesis (português brasileiro) ou Génesis (português europeu) (do grego Γένεσις, "origem", "nascimento", "criação","princípio") (...)"



"A palavra gene não tem uma relação direta com o verbo nascer, nem mesmo por via do latim. Na verdade, foi criada em alemão, segundo o Dicionário Houaiss:



«alemão] Gen (1909) ["unidade fundamental, física e funcional da hereditariedade, constituída pelo segmento de uma cadeia de ADN responsável por determinar a síntese de uma proteína"], vocábulo] criado [em alemão] por W. L. Johannsen (1857-1927, biólogo dinamarquês), com base no radical [indo-europeu] *gen-/gne- "nascer, gerar", pelo francês gène (1935) "idem"».



Ou seja, a palavra gene não significa «raça» nem «geração», mas, pelo referido radical indo-europeu *gen-/gne-, «nascer, gerar», relaciona-se com palavras que podem aludir a esses significados; por exemplo: gênero, «conjunto de seres ou objetos que possuem a mesma origem ou que se acham ligados pela similitude de uma ou mais particularidades» (Hoauiss), do latim genus, -eris, «nascimento, descendência, origem; raça, tronco; descendente, rebento, filho», derivado do grego génos, -eos, com o mesmo significado; geração, «ato de gerar», «descendência», «pessoas que têm a mesma idade», do «latim] generatio, onis, "geração, reprodução (das espécies); raça, família, genealogia, linhagem"» (idem). Não tendo derivado do radical de nascer, gene tem, no entanto, uma relação etimológica indireta com o étimo do verbo português, isto é, como o verbo latino nascor, que teria uma forma mais antiga, *gnascor (não atestado), cujo radical remonta à raiz indo-europeia *gen/gne- (idem, s. v. gen-)."




"Nascor
(...) Latim 
Etimologia 

De gnāscor anterior , de Proto-Italic * gnāskōr , de Proto-Indo-Europeu * ǵenh1- . Cognato com o grego antigo γεννάω ( gennao , " para gerar " ) .
Pronúncia 
( Clássica ) IPA ( chave ) : /naːs.kor/ , [naːs.kɔr]
Verbo 

nascor ( infinitivo presente nasci , perfeito ativa soma Natus ); Terceira conjugação , depoente
Eu sou nascido , gerado
Eu me levanto , proceda
Eu cresço , broto
Inflexão 

Nota: O particípio futuro às vezes é nāscitūrus .
[ Mais ▼ ] Conjugação de nascor ( terceira conjugação , depoente )

Termos relacionados 
Ver também 



Ateu Poeta
22/02/2017
Artigos relacionados: 






domingo, 22 de janeiro de 2017

TORNEIO DE XADREZ NO K-LABAR 2017

TORNEIO DE XADREZ NO K-LABAR 2017

O CLUBE DE XADREZ DE GUARAMIRANGA realizou em Pacoti um torneio de xadrez com participação de pacotienses e guaramiranguenses no K-LABAR no dia 17/01/2017, sendo o Professor Enilton o árbitro do torneio.

Deixo algumas fotos no blog #Coluna_Clio para registro histórico da atividade esportiva.
Aroldo Historiador

Mais fotos no perfil do Facebook: https://www.facebook.com/nil.guaramiranga.1

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

SOBRE A ORIGEM DO NOME PACOTI: REFLEXÕES ETIMOLÓGICAS




Sobre o significado real da Palavra "#Pacoti" eu acredito que, no caso também é o nome de um rio, que o nome signifique ao pé da letra "#Paca_Catu", ou seja, paca bonita e por eufonia (tornar as palavras mais belas) virou #Pacoti. 

Sendo então, #Paca_Bonita, mas em referência ao Rio e não ainda à cidade, que só herdou o nome, poderia ser algo antes como #Igarapé_Paca_Catu, #Rio_Bonito_das_Pacas e ter virado #Paca-Catu, para diminuir o nome, que seria muito longo, e só depois ter virado #Pacoti. 

No caso, é provável que o #Catu que virou o "coti" fosse referente ao rio, #Rio_Bonito, #Igarapé_Catu. Sendo igarapé algo como "#caminho de canoa", #ygara (canoa) e #apé (caminho). 

Ou pode ter sido Iguá_Paca_Catu, #Água_Bonita_Com_Pacas ou das pascas. Fica aqui uma segunda hipótese.

Podem me perguntar porque não sigo os outros 4 termos sugeridos por outras pessoas, dentre elas, José de Alencar? Simples, porque simplesmente nenhum dos estudiosos anterior deu nada de etimologia, já deram termos inteiros dos nomes juntos sem quebrar para os radicais das palavras, o que é claramente um erro por imprudência, desconhecimento ou mesmo arrogância.

O que faço nesses escritos não é uma coisa acabada, assim como nenhum ciência é acabada, sobretudo as humanas, são hipóteses levantadas através de estudos etimológicos e reflexões racionais em busca de respostas para o que ainda não tem. O importante não é que acreditem cegamente no que eu digo, mas que levantem vocês as suas próprias hipóteses e depois estudem que algum dia haverá um consenso e pode ser que ele se aproxime muito de uma possível verdade.

O termo #Iguá significa água, daí o termo #Iguaçu (água grande).


Do mesmo modo como aconteceu com #Iguá_catu, de #Igarapé_Catu, que significa #Rio_Bonito ou #Iguá_Catu, que seria #Água_Bonita ou mesmo #Córrego_Bonito, virando depois #Iguatu. Há uma vertente que diz que Iguatu vem de  #iguá+ tu, que seria #água_rasa em queda. Sendo #Iguá água rasa e #tu significando #queda

Também acredito que #Guaraciaba seja algo como "#Vermelha_Estrela_Serra" ou mais precisamente #Serra_do_Sol, já que #Guará significa vermelho, "#ci" é algo para estrela (mas também no caso serve para a Lua, que é #Jaci [ branca-estrela]), sendo o nome do Sol #Guaraci (Vermelha-estrela). 

E #Pacatuba, na mesma linha de raciocínio pode ser algo como #Paca_Bonita_Serra ou #Serra_da_Paca_Bonita, de #Paca-Catu-Aba. 

#Guaramiranga seria #Vermelho_Pássaro, no caso para nós, #Pássaro_Vermelho. 

E por aí vai. Muitas cidades no Ceará vem de nomes "indígenas", ou Tupi ou Jê (também chamados #Macro_Jês ou #Tapuias ou mesmo "#Bárbaros", daí a o nome daquele período de História do Ceará chamado "#A_guerra_dos_bárbaros", seria até mais apropriado chamar "#A_guerra_dos_jês") e aquele episódio chamado de "Revolta dos Tapuios" de #Revolta_dos_Jês, sendo que os Tupis chamavam os #Jês de #Tapuia e não de "Tapuio", mas esse nunca foi o nome de nenhuma tribo; o nome do povo é #Jê. 

Do mesmo modo que a tribo #Jê chamada de #Canindé, que dá nome também a uma cidade do Ceará por sinal, que significa ao pé da letra #Cabeça_Chata, nunca chamou a si mesma de #Canindé; sabe-se que era tribo #Jê, mas não se descobriu ainda o nome que a tribo atribuía a si, eles tinham o hábito de achatar a cabeça amarrando nela cipós e por este motivo foram chamados de #Canindés pelas demais tribos #Jês.

O preconceito contra as tribos #Jês pelos brasileiros que as chamaram de "#Bárbaros" se dá pelo fato de os Jesuítas terem se aproximados dos Tupis e catalogado sua língua, que foi incorporada ao antigo Português, mas como não houve estudos da língua Jês, hoje é que veio-se despertar para isso e com isso muitas tribos estão sendo catalogadas como #Macro_Jês linguisticamente, a língua deles ficou algo para nós indecifrável. 

É um grave erro ver o nome #Tapuio como "#inimigo" ou mesmo "#Bárbaro" (palavra que só faz sentido no cunho europeu e para os persas). O fato é que se pensarmos um pouco podemos analisar e ver que é muito mais provável que #Tapuio significa ao pé da letra "#Não_Tupi", e nesta perspectiva, nós #Somos_Todos_Tapuias, exceto os legitimamente 100 #Tupis.

Aroldo Historiador
O Poeta da Democracia
18/11/2016

domingo, 23 de outubro de 2016

1968 DITADURA ABAIXO

 1968 DITADURA ABAIXO


A maioria das imagens são do livro "1968 Ditadura abaixo", de Teresa Urban. As demais imagens são contextualizações históricas do historiador de São Paulo Euclides Garcia Paes de Almeida que as usa em suas palestras anti-ditadura. 

Quando ainda era viva a autora lhe cedeu as imagens para este fim e por sua vez o historiador nos cedeu as imagens para divulgação no intuito de que os jovens possam saber um pouco mais sobre a luta dos estudantes contra a Ditadura Militar no Brasil uma vez que neste ano de 2016 vivemos tempos tão ditatoriais, mas de forma um pouco velada.

Aroldo Historiador
23/10/2016